Bem vindos!!!

Bem vindos ao Jurassic Park! Um blog que vai lhes mandar para o passado para verem criaturas fantásticas e depois lhes trazer de volta ao século XXI para conhecer fatos que ocorreram em misteriosas ilhas à oeste da Costa Rica.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Quando os dinossauros reinavam na Terra



   Tudo em cima, pessoal? Lembram-se que eu prometi retornar com uma postagem completa só sobre Quando os dinossauros reinavam na Terra, pois é  aqui estamos nós. Não se preocupem em perderem-se entre o post-vídeo e este, eu coloccarei links relacionando ambos. Como eu já falei o documentário ( não é uma série ) é show de bola, tem 97 minutos e retrata toda a Era Mesozóica, com um interessante foco na evolução, tanto dos dinossauros, quanto do meio ambiente, e nas adaptações evolutivas da era.



Triássico Superior

Tempo: 220 milhões de anos atrás 

 Local: Nova York ( Pangéia ) 

 

© Discovery Channel
   documentário começa falando sobre as condições geograficas e climáticas do período, logo após uma rápida descrição da extinção que marca o fim do Permiano, sendo a ela atribuída como causa a queda de um meteoro.  O protagonista é o astuto e veloz Coelophisis, considerado marco evolutivo ( pelos americanistas a despeito de tantos outros como o Eoraptor e o  Stauricosaurus ), vivendo a margem de um lago tectônico. Neste local ele encontra, convive, caça e é caçado com diversas outras espécies, dentre: elas os Crurotarsi ( do qual fazem parte os crocodilos ) Rutiodon, de quem quase leva uma bocada e o Desmatosuchus, herbívoro encouraçado, semelhante a um tatu com espigões; o Icarosaurus, lagarto planador; e alguns mamíferos como o traversodonte.
 Coelophisis 
© Discovery Channel

© Discovery Channel

Rutiodon
© Discovery Channel

   O filme  ressalta o assunto da anatomia óssea dos dinossauros, como o ponto crucial da evolução, que é o desenvolvimento de membros inferiores em ângulo reto em relação a coluna, gerador de uma vantagem física, não só para a velocidade, mas também para aliviar a carga de estresse dos pulmões, que são alternadamente comprimidos no andar reptiliano. 

Jurássico Inferior

Tempo: 200 milhões de anos atrás
Local: Pensilvânia ( EUA )

© Discovery Channel

Continuamos 20 milões de anos a frente, logo depois de nova extinção em massa, quando os dinossauros definitivamente se estabelem como classe dominante, crescendo e evoluindo cada vez mais até a perfeição. Os protagonistas formam um triângulo predatorial, com: os velozes Megapnosaurus ( ex- Syntarsus ), o grande Dilophosaurus, que rouba o Anchisaurus, menores Megapnosaurus
"Imediatamente a seguir assistimos o final do Triássico Superior e surgimento de um novo mundo, com novo clima e geografia no início do Jurássico. Novos dinossauros apareceram e agora dominam o planeta. Um Dilofossauro aparece caminhando entre rochas e vertentes cuja água quente exala gases. Começa então uma explicação feita por Paul E. Olsen, sobre a camada de rocha que permite ver a fronteira entre o Triássico e Jurássico, rica em irídio, que provaria a suposta queda de meteoros no período e naquele local."
Quando os Dinossauros reinavam na Terra,
Patrick K. Padilha, 2010

Dilophosaurus
© Discovery Channel


Megapnosaurus
 © Discovery Channel

 Anchisaurus
© Discovery Channel

 
O Anchisaurus é um prossaurópode, anda em 2 e 4 patas, e representa a aurora dos grandes saurópodes, evoluindo para nada mais, nada menos que um ambicioso objetivo: o céu. Graças aos elevados níveis de CO2, os prossaurópodes tem que alcançar as as árvores, seu alimento cada dia mais alto, aumentando assim também a eficiência e porte de seus predadores, na maravilhosa e verdejante evolução da vida jurássica. O Megapnosaurus, anda bípede, é mostrado como um projeto para os terópodes, com fortes mandíbulas e hábeis braços. E finalmente, o gigantesco Dilophosaurus , com duas cristas no crânio e 3 metros de altura, aparentemente primitivo em relação aos seus sucessores terópodes, com 3 dedos no pé, em vez de 4 , cabeça relativamente maior e desprovidos de crista.

Jurássico  Superior

Tempo: 150 milhões de anos atrás
Local:Utah ( EUA )

© Discovery Channel

   Aqui nos vemos diante de uma inóspita paisagem, sazonal, semelhante as savanas atuais. Onde alguns Camarasaurus e Stegosaurus vagam errantes, sequiosos por água. Em um leito seco de rio observa-se o curioso comportamento de um estegossauro cavando a terra em busca de alguma fonte subterrânea, o que é para nossa alegria, imitado pelos dóceis Dryosaurus. Completando o cenário, o aterrador Ceratosaurus espreios pequenos ornitópodes.


Dryosaurus
© Discovery Channel
   Novamente, um paleontólogo se apresenta para descrever o incrível cemitério, no qual ambienta-se a história, onde grande número de animais se agrupa próximo a um rio que posteriormente seca, levando todos à fossilização.

 Fóssil recém encontrado
© Discovery Channel


   Também vemos uma análise morfólogica do camarassauro, em raio-x, na qual se dá atenção especial ao hábito destes gigantescos animais de comerem rochas, conhecidas como gastrólitos, que ajudam na digestão.  

Camarassauro 
© Discovery Channel

© Discovery Channel

   Enquanto isso, um casal de Estegossauros repele um imprudente Ceratossauro, e o macho tenta convencer inutilmente a fêmea a se acasalar. Segue-se uma fascinante descrição desta espécie. Corpulento, com um crânio miserável, placas dérmicas ( não são ósseas, pois não se preservam na fossilização ) nas costas e na ponta da cauda, formidáveis espigões de 10 centímetros. A propósito, no filme atribuí-se as placas a função de prporcionar ao macho, durante o acasalamento, um singelo espetáculo, para impressionar a fêmea.


Estegossauro
© Discovery Channel

Ceratossauro
© Discovery Channel

Paisagem "regada"
© Discovery Channel

"O clima muda e começa a surgir um monte de nuvens no céu, indicando a chegada da estação da chuva. Durante a madrugada, a chuva cai pesada, enquanto o Ceratossauro tenta dormir e os Camarassauros comem. A chuva faz renascer o rio que havia sumido e trazendo vida à paisagem, junto com um bando de Apatosaurus."
Quando os Dinossauros reinavam na Terra,
Patrick K. Padilha, 2010

   Após uma nova chamada ao paleontólogo, onde explica-se a falta de ovos de saurópodes na América ( EUA ), retornamos ao  Jurássico, onde descreve-se as características do verdadeiro Dino. Os apatossauros, possuem 30 toneladas, e semelhante  valor, em módulo, para o comprimento. Ao contrário do camarassauro ou  braquiossauro, eles se alimentavam da vegetação rasteira, em suma: samambaias.  Também relata-se a sua função de "aspirador", cambaleando a cabeça de um lado ao outro, para "varrer" as samambaias. Em uma análise de raio-x mostram-se características otopédicas comuns aos saurópodes. Vértebras altas nas ancas para suportar o peso do corpo e aforquilhadas no pescoço para erquê-lo, sem falar nos ligamentos ósseos, que "seguram" um osso ao outro.

Apatosaurus
© Discovery Channel

Análise em raio-x
© Discovery Channel

   Encurtando a história: aparece um Alosaurus que tenta atacar um jovem apatossauro, mas é espantado pelos maiores; ele foge e frustrado acaba roubando a presa do ceratossauro; finalmente a estação seca retorna, os estegossauros se acasalam e  na viagem de volta um apatossauro pisa em falso e cai, só para ser devorado por um grupo de alossauros.

Alosaurus
© Discovery Channel
 
   Os saurópodes, esclarece-se no filme, migram, em geral, motivados por seu apetite colossal, devido ao qual, se não o fizessem, devastariam todo o local, mais ou menos como os elefantes atuais, classificados como os animais com maior potencial modificador, excetuando-se apenas, pelo homem. Assim, enquanto migram, os apatossauros e qualquer herbívoro de grande porte, permitem que o ambiente se recupere.

Apatossauros migram, sob o pôr do sol
© Discovery Channel

Cretáceo Inferior

Tempo: 90 milhões de anos atrás
Local: Novo México ( EUA )

© Discovery Channel
   Num rápido pulinho eletroquântico, avançamos até o Cretáceo.
  
"A América do Norte está completamente repartida por um mar interior que tornou o clima tropical, úmido e quente. Surgem as primeiras plantas com flores e insetos polinizadores. No meio de uma floresta úmida e quente um bando de pequenos ceratopsianos chamados Zuniceratops estão comendo e refrescando-se em um regato raso."
Adaptado de:
 Quando os Dinossauros reinavam na Terra,
Patrick K. Padilha, 2010

   Os Zuniceratops são descritos como os primeiros ceratopsianos de "gola", portanto, o que viria a ser um dia, o Triceratops. Aqui apresentam-se, além dos Zuniceratops, os fabulosos Dromeossaurídeos, predadores audazes que comumente respondem por: Raptores.

 Zuniceratops
© Discovery Channel

   Nesta seção, como já puderam imaginar, se baseia principalmente na luta presa X predador. No entanto, de maneira instigante, também se aprofunda nos conflitos sociais,se é que posso chamar assim, de ambas as espécies. Com os raptores, ambienta-se a quebra de um grupo tradicional, neste caso, duas fêmeas e um macho, com a tentativa de um novo "cara" de se dar bem. Com os Zuniceratops não é diferente. Chegada a época de acasalamento, dois machos se acham em calorosa disputa, ocasionada pela petulância de um jovem ao cortejar sua pretendente, a despeito de este ser um direito reservado apenas ao líder. Os raptores, atentos a todos os sons da floresta acabam tomando partido, e se aproveitando do velho vencido.  Outras espécies presentes são o Nothronychus ( terizinossaurídeo com quem o raptor desgarrado tem um violento encontro ) e o celurossaurídeo plerossauro.
Dromaeosaurus
( supostamente ) 
© Discovery Channel
   Infelizmente, não obstante a compaixão do novo líder perante o obsoleto ferido, os sedentos predadores, o perseguem e finalmente o matam. E por último encerra-se a história com a trilha catastrófica de costume, aqui protagonizada por um incêndio devastador. Novamente aparece uma tomada com a paleontóloga Karen Chin, que explica as evidências de incêndio: abundância de cinzas e carvão em determinado estrato geológico da Bacia Zuni. Só para não dizerem que as minha únicas citações são do blog do Ikessauro, aqui vai o parecer do Discovery Channel :

 Na natureza o desastre é um companheiro constante e a morte tem muitos disfarces. Os dinossauros que não foram pegos pelo fogo fogem em pânico, a maioria sobreviverá. Para as criaturas que pereceram, terminou o conflito. Para os que permaneceram, a sua frente estão trinta milhões de anos de evolução. 
Ativado por forças não visíveis, o ambiente mudará gradualmente, e também os dinossauros que aqui vivem. 
Quando os Dinossauros reinavam na Terra,
Discovery Channel

Cretáceo Superior

Tempo: 65 milhões de anos atrás
Local: Dakota do Sul ( EUA )

O Começo
© Discovery Channel

   No fim do Cretáceo, o clima é úmido, o solo fértil, assim como o mar interno que se retraiu, dando lugar a imensas pradarias, todas as condições são favoráveis para o desenvolvimento das mais fantásticas criaturas que já habitaram o imaginário de um criança. No chão, pacificamente se alimentam Triceratops e Ornithomimus, no céu planam os famosos pterossauros, com destaque ao Quetzalcoatlus, enquanto a mais formidável, terrível e ... amado predador do Cretáceo, observa uma manada de Anatotitan pastando.

© Discovery Channel

Anatotitan
© Discovery Channel

Triceratops
© Discovery Channel

Tyranosaurus rex
© Discovery Channel

   Maravilhosamente, a seguir apresenta-se a inusitada cena de um tiranossauro adolescente tentando estupidamente atacar um bando de tricerátopes, que rapidamente entram em formação, com os machos à beira do círculo, protegendo fêmeas e filhotes. O enorme escudo vivo acaba por frustrar o ingênuo tiranossauro, que se volta para um Quetzalcoatlus que estava comendo carniça ali perto, mas sem muito sucesso.
   Também se analisa a inovações do sistema digestório do Anatotitan, com molares especializados em triturar folhas e estômago reforçado, sem abando os velhos companheiros, os gastrólitos. Aqui novamente exploram-se as conformações sociais dos dinossauros. Em uma estupenda cena de caça, retrata-se dois jovens se aliam espantando e direcionando um pequeno gupo de Anatotitan direto para a bocarra de sua mãe.
   Sem perder tempo, representa-se, quase que, insensivelmente, a queda do mítico asteróideprovocando uma imensa onda de fogo e rochas que pega os distraídos caçadores devorando o Anatotitan. A onda varre o sul dos Estados Unidos e muito provavelmente, o México e o sul do Caribe. Ao fim, após um ano, mais ou menos, a poeira baixa e tudo que resta é uma carcaça de tiranossauro sendo lentamente consumida pelos outrora insignificantes mamíferos.

E o fim
© Discovery Channel

   Nas palavras abaixo peço que reflitam um pouco não só sobre seu conteúdo motivante, mas também por seu lado desolador, cuja função é apenas servir de lembrete para nossa vunerabilidade:
© Discovery Channel

"Sobre as cinzas e restos da destruição resta um crânio de Tiranossauro. Sobre este surgem pequenos mamíferos parecidos com gambás, e o narrador explica que eles são o começo de uma nova linhagem de animais, que um dia dominarão o mundo e pensarão sobre um tempo em que 'Dinossauros reinavam na Terra' ". 
Quando os Dinossauros reinavam na Terra,
Patrick K. Padilha, 2010
(http://www.ikessauro.com/2010/05/quando-os-dinossauros-reinavam-na-terra.html)

Fonte: Blog do Ikessauro
              Discovery Channel

3 comentários:

  1. E aí pessoal? Eu não quis continuar na postagem por que e não sou de desperdiçar uma finalização dramática, né?
    Então espero que gostem dela tanto quanto eu me exauri pra fazê-la, e foi bastante mesmo tipo 4 dias só nesta.
    Na verdade, o filme não acaba aqui. Depois tem mais alguns comentários e citações utópicas, só que eu não quis me alargar muito, sendo que a post já tava muito grande!
    Se quiserem conferir os erros ( que são muitos! ) da produção é só dar uma espiadinha no Ikessauro, devo ter uns 5 link pra post dele. Só uma dica, erros de pronuúncia e sem falar na CG de segunda.
    Ah, quase me esqueci, olink pro vídeo,
    Aqui no blog:
    http://mundopre-historia.blogspot.com.br/2013/01/quando-os-dinossauros-reinavam-na-terra.html
    Ou no you tube:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=vyxw7nJSTTM
    è só copiar e colar
    CTRL+C, aqui; CTRL+V, lá valeu?

    ResponderExcluir
  2. Eu queria fazer uma parceria com você,aceita?O meu blog é o Camillessauro

    ResponderExcluir
  3. Claro que sim! Só me manda o link do seu site, que eu não estou conseguindo entrar no link dc comentário

    ResponderExcluir

Deixe suas dúvidas e opiniões:

Total de visualizações de página

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...